Gandu: Sequência de crimes deixa população aflita e ruas desertas a noite.


Diante do colapso de segurança pública, que trouxe preocupação para a população vendo a insegurança aumentar, apesar do esforço da atual gestão em solicitar  uma audiência com o secretário da Segurança Pública do estado, e, cobrança da comunidade nas redes sociais. Mesmo assim, as autoridades estaduais parecem não ter  se sensibilizado e levado a sério um problema tão grave, que assusta e está numa escalada crescente, por absolutamente falta de providência.

Pelo que se observa, não há o interesse devido por parte do Estado para lutar pela paz e garantir mais segurança à papulação ganduense. As ruas já estão vazias, a população está aflita e espera um tratamento decente e de respeito, porém o Estado parece agir na contramão desses anseios.

A ação do Estado tem que se adequar a princípios e dispositivos Constitucionais e legais, respeitando direitos individuais e coletivos, até porque a Constituição Federal trata desde tema, Segurança Pública em seu artigo 144, no Título “Da Defesa do Estado e das Instituições Democráticas”, prevendo que a segurança pública é direito e dever de todos, sendo exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

É necessário ressaltar que  é vital ao cidadão, consistindo-se em verdadeiro direito fundamental, como preconiza o art. 5º, “caput”, da Constituição Federal.

É importante observar, que a população saiba que direitos humanos a alcança e a protege, não estando limitada a proteção de determinado grupo, mas sim a todas as pessoas em questões fundamentais, dentre as quais se encontra a segurança pública, dever do Estado e direito de todos.

Direitos Humanos e Segurança Pública, portanto, têm inúmeros pontos de convergência, sendo esta espécie daquela, alcançando a todos.

A limitação que se impõe ao Estado é a mesma que se apresenta em qualquer outra circunstância, ou seja, a de respeito ao indivíduo (ganduense), já que o ser humano é o centro e o bem maior da sociedade.

Mas isso não autoriza ou justifica a inércia ou a ineficiência.

Enquanto isso a cidade e destaque em criminalidade, furtos/roubos, estupros, etc.


 

publicidade