A violência migrou da capital para o interior.


*Gardênia Roseira/Licenciada em História e Sociologia/Mestre em Educação

Há um problema histórico de crescimento da violência no País. Se em algumas regiões os índices começam a cair por causa dos investimentos, essa violência se translada para outros estados ou para o interior.

Em Gandu, inúmeros são os casos de furtos a pessoas e lojas. E o pior, não há um horário para acontecer. Os criminosos sentem-se tão confortáveis com a falta de um número ostensivo de policiamento que agem de forma confortável. O grande problema é que adotamos políticas concentradas nas capitais, mas a violência já não está nas capitais. Ela se espalhou pelo País.

Nas periferias das cidades, sejam grandes, médias ou pequenas, nas quais a presença do Poder Público é fraca, o crime consegue instalar-se mais facilmente. São os chamados espaços segregados, áreas urbanas em que a infraestrutura urbana de equipamentos e serviços (saneamento básico, sistema viário, energia elétrica e iluminação pública, transporte, lazer, equipamentos culturais, segurança pública e acesso à justiça) é precária ou insuficiente, e há baixa oferta de postos de trabalho.

A segurança deve ser considerada um direito de cidadania, pois significa liberdade (respeito ao indivíduo) e ordem (respeito às leis e ao patrimônio), que são fundamentais para o desenvolvimento econômico e social.

Profa. Gardênia Roseira


publicidade